TIPOS DE CÂNCER
Câncer de Tireóide

O que é?

    A glândula tireóide é responsável pela produção de hormônios fundamentais para manutenção do organismo. A tireóide é sede freqüente da formação de nódulos, que em sua maioria são de origem benigna. O câncer (tumor maligno) de tireóide ocorre quando há um crescimento anormal, desorganizado, de células na glândula tireóide que, quando não tratado, pode originar compressão de órgãos vizinhos e disseminar com metástases para outros órgãos.

Como ele se manifesta?

    O câncer de tireóide geralmente não apresenta manifestações clínicas em suas fases mais precoces. A medida que o tumor cresce, pode apresentar alguns sintomas sugestivos. Os principais sinais e sintomas que podem sugerir tumor na tireóide são:

    Nódulo palpável ou visível no pescoço, dificuldade de ingestão de alimentos, dificuldade de respiração, gânglios aumentados no pescoço, alterações na voz, geralmente rouquidão progressiva, dores na região cervical e/ou garganta.

Como fazer o diagnóstico?

    Na suspeita de câncer na tireóide, seu medico vai realizar alguns testes. Através de um exame detalhado do pescoço, a identificação de algumas características peculiares do nódulo pode sugerir o tumor. Normalmente é realizada uma avaliação laboratorial para verificação dos níveis hormonais. A ecografia de tireóide é um exame importante para definir características do nódulo e orientar uma biópsia para retirada de tecido para análise.

Quais os principais tratamentos?

    Dentre os tumores de tireóide existem vários tipos diferentes. O tratamento vai ser indicado com base no tipo e tamanho do tumor e no estágio no momento do diagnóstico. A grande maioria dos pacientes irá ser tratada através de cirurgia para remoção da tireóide. É uma cirurgia que deve ser realizada por cirurgião habilitado, pois existem algumas complicações que podem ocorrer no procedimento cirúrgico. Após a cirurgia, os pacientes necessitarão a utilização de reposição hormonal para manter a função tireóidea dentro do normal. Existem situações em que após a cirurgia pode ser necessária a utilização de iodo radioativo para eliminar eventuais focos de tecido tireóideo residual ou áreas tumor que persistam após a cirurgia. Existem ainda situações em que pode ser necessário tratamento com radio ou quimioterapia.

Quem eu devo procurar?

    Quando o exame clínico for sugestivo de um câncer de tireóide, seu médico indicará a avaliação de um especialista em doenças da tireóide (endocrinologista ou cirurgião), que solicitará os exames para avaliação do nódulo.

Quais os fatores de risco?

    É difícil determinar porque algumas pessoas desenvolvem câncer e outras não. Na tireóide, existem algumas situações que podem aumentar o risco do desenvolvimento de um tumor maligno: Exposição à radiação no pescoço, presença de familiares com história de câncer de tireóide e algumas síndromes genéticas.

Prevenção - Como realizar?

    Como não se sabe a causa do câncer de tireóide na maior parte dos diagnósticos realizados, é difícil realizar uma prevenção adequada. Pessoas expostas a altas doses de radiação, como no tratamento de outros tumores no pescoço devem realizar exames de rotina para verificar a presença de nódulos na tireóide. Famílias com diagnóstico de algumas síndromes genéticas devem ser acompanhadas e em alguns casos a tireoidectomia profilática pode estar indicada.

Após o tratamento como fazer acompanhamento?

    O diagnóstico de uma neoplasia maligna pode ser uma experiência desagradável e assustadora. É importante lembrar que os tumores malignos mais comuns na tireóide geralmente têm um prognóstico muito bom. Poucas pessoas morrem de câncer de tireóide quando diagnosticados e tratados em tempo e de maneira adequada. Após o tratamento, você vai ser seguido por seu médico o qual irá realizar exames periódicos de rotina para avaliar a possibilidade de recorrência do tumor.