TIPOS DE CÂNCER
Câncer de Pâncreas

O que é?

    O pâncreas é uma glândula do aparelho digestivo, responsável pela produção de enzimas, que atuam na digestão dos alimentos e pela insulina-hormônio responsável pela diminuição do nível de glicose (açúcar) no sangue. O câncer de pâncreas mais comumente se origina das células responsáveis pela função de auxiliar a digestão (pâncreas exócrino).

Como ele se manifesta?

    O câncer de pâncreas não costuma produzir sintomas específicos. Os sintomas mais comuns são: dor, perda de apetite, emagrecimento, fadiga. Alguns pacientes podem apresentar depressão. Quando o câncer de pâncreas ocorre na porção chamada de cabeça do pâncreas pode ocorrer icterícia (pele e olhos amarelados).

Como fazer o diagnóstico?

    O diagnóstico requer um conjunto de exames laboratoriais e exames de imagem, tais como tomografia computadorizada de abdomen ou ressonância nuclear do pâncreas e via biliar ou ecoendoscopia (uma ecografia realizada pelo aparelho de endoscopia digestiva alta). A melhor maneira de obter-se uma biópsia para confirmação do diagnóstico vai depender destes exames.

Quais os principais tratamentos?

    O único tratamento potencialmente curativo é a cirurgia com a remoção parcial ou total do pâncreas. Após a cirurgia pode ser necessário quimioterapia e/ou radioterapia para aumentar a chance de cura. Os casos mais avançados não podem ser operados e devem ser tratados com quimioterapia e/ou radioterapia.

Quem eu devo procurar?

    No início da investigação pode-se procurar um medico internista (clínico geral ou gastroenterologista). Após a confirmação do diagnóstico ou suspeita de câncer de pâncreas deve-se consultar um cirurgião e um oncologista clínico para determinar qual a melhor estratégia de tratamento.

Quais os fatores de risco?

    Os  principais fatores de risco são tabagismo, obesidade, ser portador de pancreatite crônica ou diabetes mellitus.

Prevenção - Como realizar?

    Apesar de não haver uma maneira comprovada de prevenir o câncer de pâncreas uma dieta saudável, exercícios físicos regulares, evitar o tabagismo e manter um peso saudável deve diminuir o risco.

Após o tratamento como fazer acompanhamento?

    O acompanhamento visa diminuir as potenciais complicações dos tratamentos e através dos exames periódicos de laboratório e de imagem confirmam o controle continuado da doença.