TIPOS DE CÂNCER
Câncer de Estômago

O que é?

    O câncer gástrico é o tumor maligno que se origina das células do estômago. O estômago é um órgão presente no tubo digestivo, situado entre o esôfago e o duodeno. Nele, os alimentos são pré-digeridos antes de seguirem para o intestino, onde são absorvidos.

Como ele se manifesta?

    Não há sintomas específicos do câncer de estômago. Porém, algumas características como perda de peso, anorexia, cansaço ou fadiga, sensação de plenitude, vômitos, náuseas e desconforto ou dor abdominal persistente podem indicar a presença do câncer de estômago. Em alguns casos podem ocorrer vômitos com sangue. No entanto estes mesmos sintomas ocorrem também em doenças benignas do estômago.

Como fazer o diagnóstico?

    O melhor método diagnóstico é a endoscopia digestiva alta. A endoscopia permite a avaliação visual da lesão e a realização de biópsias para a confirmação do diagnóstico.

Quais os principais tratamentos?

    A cirurgia, com a retirada parcial ou completa do estômago é a principal alternativa de tratamento. A cirurgia pode ser complementada com quimioterapia e/ou radioterapia para aumentar a chance de cura. Em alguns casos a quimioterapia pode preceder a cirurgia.

Quem eu devo procurar?

    No início da investigação pode-se procurar um medico internista (clínico geral) ou um gastroenterologista. Após a confirmação do diagnóstico deve-se consultar um cirurgião e/ou um oncologista. No tratamento do câncer gástrico é importante que o cirurgião, oncologista clínico e o radioterapeuta trabalhem juntos para determinar qual o melhor tratamento (e em que sequência) a ser utilizado. Para determinar a melhor abordagem cirúrgica, deve-se considerar a localização, tamanho, padrão e extensão da disseminação e tipo histológico do tumor. São esses fatores que determinam tanto o prognóstico do paciente quanto qual a melhor sequência de tratamento a ser utilizada.

Quais os fatores de risco?

    A dieta é um fator preponderante no aparecimento do câncer de estômago. Uma alimentação pobre em vitamina A e C, um alto consumo de nitrato, alimentos defumados, enlatados, com corantes ou conservados no sal são fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de estômago. A má conservação dos alimentos também está associada ao câncer de estômago.

    Pessoas portadoras de anemia perniciosa; lesões como gastrite atrófica e metaplasia intestinal; e as infecções gástricas pela bactéria Helicobacter pylori tem um risco maior de desenvolver câncer gástrico do que a população em geral.

    Fumantes que ingerem bebidas alcoólicas também têm maior probabilidade de desenvolver este tipo de câncer.

Prevenção - Como realizar?

    Manter hábitos saudáveis é a melhor prevenção. É importante uma dieta rica em frutas, verduras e fibras. Deve-se evitar o fumo e ingerir álcool em moderação.

Após o tratamento como fazer acompanhamento?

    O acompanhamento deve ser realizado por uma equipe multidisciplinar (cirurgião, oncologista, radioterapeuta, gastroenterologista e nutrição) para minimizar as consequências do tratamento e permitir um diagnóstico precoce em caso de recidiva do tumor.